4 de jan de 2009

O dançarino

Inspirada numa saudade

- Menino, desce daí.
Ele sorriu, virou de costas, abriu os braços e dançou.
A mãe o pegou abruptamente pelos braços, sentou-o em seu colo e explicou o perigo de subir na mesa de vidro.
"O vidro pode quebrar. Você é pesado. Nenê machuca."
O dançarino sorriu e a beijou. Aninhou-se em seu colo. Brincou com seus cabelos.
...
- Menino, dessa vez você vai apanhar.
Ele sorriu, ajeitou-se melhor e dançou.
Com o coração aos pulos a mãe o pegou no alto, sentou-o em seu colo e explicou o perigo de subir na estante.
"É muito alto. Você é pequeno. Nenê machuca."
O dançarino sorriu e a beijou. Aninhou-se em seu colo. Brincou com seus cabelos.
...
- Menino, pelo amor de Deus, não se mexa.
Ele sorriu e dançou.
Em pânico, a mãe debruçou-se na borda da piscina. Com uma mão segurava a lona de cobertura e com a outra chamava o menino gentilmente. Ele continuava a dançar. Com o dedo em riste a mãe gritou "Menino, venha já pra cá". O desespero da voz da mãe o assustou e ele percebeu que, dessa vez, ela falava sério.
Entre lágrimas ele veio andando até o alcance das mãos da mãe que o puxou no momento em que a lona cedia.
A mãe o sentou no colo, o beijou e brincou com seus cabelos, pedindo desculpas por ter ficado brava com ele.
Ele a desculpou com um abraço.
...
A família saiu para buscar o jantar.
A mãe sentou com o dançarino e o contador de histórias no banco de trás.
O dançarino ficou em pé no banco. Queria dançar. Dançou.
A mãe o pegou, sentou-o no colo e explicou que era perigoso.
"O carro pode ter que parar de repente. Você é bebê. Nenê machuca."
O dançarino sorriu e a beijou.
Um cruzamento.
Um motorista bêbado.
Um acidente.
No colo da mãe, o dançarino parou de dançar.
Para sempre.

4 comentários:

  1. Parou de dançar somente aqui!
    Sem sombra de dúvidas dança agora ao lado dos grandes mestres e junto do Fred Astaire pensa: "não vejo a hora dela vir pra dançar conosco".

    ResponderExcluir
  2. Sem palavras...Ainda continuo chorando.

    ResponderExcluir
  3. Como dançou este menino no coração de sua mãe e de todos que o cercavam... Dançou tanto e com tantas melodias distintas, que msmo sem tê-lo conhecido, conheço seus passos e laços.
    Agora está a bailar com os anjos, enfeitando o céu com laçadas e giros, ensinando as nuvens como é belo o dançar.
    Fa, tenho a certeza de q ele sempre a tira para dançar durante seus sonhos!
    E vc, minha querida, é simplesmente maravilhosa com as palavras, me emocionou profundamente.

    ResponderExcluir
  4. Mas a música ainda toca... e a saudade é imensa!
    Não diminui, mas é amenizada com as histórias de um contador...

    Jecassaura,
    Como irmã e "com a obrigação de comentar" - como você bem frisou e me ameaçou de morte - só posso dizer que cada conto lido foi um salto na memória... viagem no tempo... risadas em meio a lágrimas!

    Beijokas!
    Ju

    ResponderExcluir