21 de jan de 2009

Jedi

Inspirada numa brincadeira

Para ter mais tempo de bombardear a criança com informações que julgava imprescindíveis, a mãe, nada convencional, comprava comida pronta e preparava quase todas as refeições no microondas, o que escandalizava os demais que a criticavam por não estar se dedicando de forno e fogão ao filho.
Certo domingo, preocupada com a formação cultural da criança, a mãe coloca o filho para assistir, de uma só vez, os seis episódios da saga de Star Wars.
Enquanto a criança passava o dia inteiro em frente ao televisor, a mãe ouvia censuras às suas idéias excêntricas sobre cultura, cinema, livros, músicas, guerras, políticas e histórias, com as quais doutrinava o filho.
Terminada a sessão, a mãe e a criança trocaram impressões quanto à história assistida, os aspectos técnicos do filme e sobre idéias políticas, filosóficas e musicais. Foram dormir.
A mãe sentia-se feliz com a certeza de que havia contribuído muito para o aperfeiçoamento moral e intelectual do filho, mas, ao colocar a cabeça no travesseiro, uma dúvida a assolou: “estaria queimando etapas da infância da criança?”.
Na madrugada ouviu um barulho.
De pronto levantou-se e correu ao quarto do filho.
Em pé, sobre a cama, uma criatura calçando botinas pretas e trajando calça social preta, blusa preta e capacete preto, olhou-a e explicou:
- Luke, eu sou seu pai.
Riu aliviada.
O filho continuava sendo criança.

Um comentário:

  1. Muuuito legal Fá!!!!

    Lendo essa estória fiquei imaginando toda a cena da família falando...falando...falando e no final o "menino" bincando de Darth Vader hahahahahahaha. Muito boa.

    ResponderExcluir