19 de ago de 2009

Caso de amor

Inspirada numa prescrição médica


O caso deles havia começado na adolescência.

Uma tia os apresentara.

Após o estranhamento inicial, comum em toda relação, eram vistos sempre juntos.

Ela era apaixonada por ele.

Seu dia só começava depois que beijasse os lábios quentes dele.

Eventualmente, se encontravam para beijarem-se no almoço também.

Nos dias nostálgicos, ele era seu consolo.

Nas tardes chuvosas, ele era sua companhia.

Nas noites aflitivas, ele era seu melhor amigo.

Até que a saúde dela começou a se deteriorar.

Após ver vários doutores, e ser submetida a vários exames, recebeu a ordem médica: precisava deixá-lo.

Achou que enlouqueceria.

Não conseguia lembrar como era sua vida antes dele.

Seria impossível substituí-lo.

Caiu em tentação.

Reataram.

Depois de 15 dias foi internada com colapso cardíaco e sobreviveu por milagre.

Agora não teria mais escolha.

Seria obrigada a abandonar o café.

11 de ago de 2009

Epidemia

Inspirada num exagero


Atchim.

A história toda começou com um espirro.

O pânico foi se espalhando pela cidade.

As aulas foram suspensas.

Os boatos falavam em centenas de mortos na cidade. Milhares no país. Milhões no mundo.

Templos religiosos ficaram vazios.

Ninguém mais se cumprimentava.

O cordial aperto de mãos estava proibido.

As informações oficiais eram desencontradas.

Alguns julgavam um absurdo tanto alarde.

Vários e-mails começaram a circular, divulgando quanto as empresas farmacêuticas estavam faturando com a pandemia.

Estava difícil segurar as crianças em casa.

O período de férias era marcado por grandes estréias no cinema.

Resolveram não aderir ao pânico.


Vinte dias depois, o H1N1 matou a família que foi ao cinema.

Justiça Divina

Inspirada numa parábola


Faltavam apenas mais 40km para chegar em casa.

Por seis dias estivera participando de um Congresso religioso.

Na mente, o olhar dos jovens que sabia ter inspirado durante suas palestras.

- Deus não dá o frio maior que o cobertor.

Sua fé sempre repetia isso àqueles que sofriam.

- Confie em Deus e Ele te proverá.

Sentia a alma leve e o dever cumprido.

Acreditava, piamente, que todas as mazelas da vida faziam parte da Justiça Divina.

Deus ama todos os seus filhos e, se eles sofrem, é porque precisam aprender algo.

A dor nas costas era resultado das 5 noites mal dormidas em cama de armar, sacrifício necessário para levar a palavra de Deus aos demais irmãos.

Crente nisso, sonhava com a recompensa: uma ótima noite de sono em seu colchão ortopédico com lençóis de seda e travesseiro de pena de ganso.

Na entrada da cidade teve uma idéia e, antes de seguir para casa, parou na locadora e escolheu alguns filmes bíblicos para assistir no seu recém instalado Home Theater.

Aumentou o som do MP3.

Sua cantora gospel preferida entoava, com voz de anjo, um novo cântico.

Chegou feliz em casa.

Ao abrir a porta, uma surpresa: a sala estava vazia.

Largou a bolsa no chão e correu para os demais cômodos.

Todos vazios.

Entrou em desespero.

Começou a chorar.

Esbravejou.

Amaldiçoou.

Blasfemou.

Caiu de joelhos no chão da imensa sala vazia.

Na parede, pichada a moral da história em letras maiúsculas:

CONFIE EM DEUS, MAS TRANQUE A PORTA AO SAIR.