30 de jun de 2009

Unidos pelo Futebol

Inspirada num desencontro
(Primeira história com intervenção do meu ombudsman. Obrigada, Mandioca.)


Tinham a mesma idade, o mesmo histórico de desastres pessoais e a mesma paixão pelo futebol.

Idosos, não quiseram dar trabalho aos filhos e mudaram-se, quase na mesma época, para um asilo particular.

Ele achava um despautério uma mulher, na idade dela, discutindo futebol com os homens.

Ela achava ridículo aquele velho, todos os dias, tomar café da manhã com pijama flanelado do Corinthians.

- A senhora deveria estar tricotando em vez de debater futebol.

- Se o senhor tivesse visto seu time ser campeão da Libertadores ao menos uma vez, não seria tão amargo.

Apesar das rusgas futebolísticas, acabaram ficando bons amigos.

Quando anoitecia, gostavam de jogar baralho, tomar chá, relembrar os tempos da juventude e discutir futebol.

- Você lembra quando o Ronaldo Fenômeno jogava no Corinthians? Tempos de glória aqueles.

- É, o Ronaldo era fenomenal. Saia com homem achando que era mulher e jogava no Corinthians achando que era time.

- Eu escutava muito essa piadinha infame na época. Tinha uma amiga, são paulina meio fanática como você, que não perdia a oportunidade de me relembrar sobre esse deslize do meu ídolo.

- Fofucho era seu ídolo?

- Você disse Fofucho?

O reconhecimento os atingiu em cheio. Haviam sido grandes amigos virtuais na juventude.

Conversavam pelo msn diariamente. Trocavam confidências.

Riam das desgraças e exaltavam as vitórias dos seus times.

Brigavam ocasionalmente e, nessas situações, não se falavam por dias.

Eram temperamentais.

Tinham personalidade forte.

Mas não conseguiam ficar muito tempo longe e sempre reatavam.

Seus gostos musicais, literários e cinematográficos eram parecidos. Adoravam futebol, mas torciam para times diferentes.

Seus horizontes culturais se ampliavam a cada bate papo.

Bem humorados, desavergonhados, politizados, jamais conseguiram se encontrar. Tentaram algumas vezes, mas em vão.

Moravam na mesma cidade e frequentavam os mesmos lugares, porém, em horários e dias diferentes.

Estavam fadados ao desencontro.

Seguiram caminhos diferentes e nunca mais tinham tido notícias um do outro.


Finalmente o futebol os unira.

Estavam no mesmo lugar e na mesma hora.

Um comentário:

  1. Fa, adorei sua história (com H), com certeza muito real, a não ser por um simples fato. Meu time será campeão da libertadores sim...Se Deus quiser, amém Jesus!
    Bjão, muito bom, Parabéns!

    Fábio

    ResponderExcluir